Com o avanço da tecnologia, muitas atividades se tornaram mais práticas apenas com um clique na tela.

Mas essa facilidade também vem acompanhada de alguns riscos que, se o cidadão não tomar os devidos cuidados, pode acabar se tornando vítima de práticas criminosas como fraude, estelionato e roubo de dados.

O Amazonas registra 4.750 casos de crimes cibernéticos no primeiro semestre de 2021, um aumento de 198% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando 1.590 casos foram notificados por meio de Boletim de Ocorrência (BO).

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-AM). Uma vítima que preferiu não se identificar, sofreu uma tentativa de roubo de dados. A vítima relata que um perfil falso chegou até ela e pediu os dados da sua conta de e-mail no chat do Facebook, em seguida ampliando o pedido para toda a lista de amigos da vítima.

O especialista em segurança da informação, Adonel Bezerra, fala que, com a internet mais acessível, criminosos comuns estão se tornando cibercriminosos.

O delegado adjunto da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), Rafael Montenegro, alerta sobre a troca de mensagens íntimas com desconhecidos, e sobre o fornecimento de dados pessoais por aplicativos de mensagens. A orientação é para que

Em maio deste ano, foi publicada no Diário Oficial da União uma Lei voltada para crimes cibernéticos.

Com isso, crimes como fraude, furto e estelionato praticados com o uso de dispositivos eletrônicos como celulares, computadores e tablets passaram a ser punidos de forma mais severa.

Em casos de furto qualificado e estelionato, realizados de forma virtual, a pena é reclusão de quatro a oito anos e multa, podendo aumentar caso a vítima seja um idoso ou vulnerável, ou se o servidor eletrônico utilizado no crime estiver no exterior.

Reportagem: Cindy Lopes
Foto: Pexels

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *