Tucumã é suspeito por causar contaminação em Manacapuru

FVS investiga morte de menino de 8 anos após ingestão de tucumã em Manacapuru

Trinta casos e a morte de uma criança de oito anos por suspeita de contaminação pelo consumo de tucumã são investigados pelas autoridades de saúde em Manacapuru, no interior do estado. A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto se dirigiu ao município nesta quarta-feira (14), para investigar a suspeita de um surto de Doença Transmitida por Alimento (DTA), causada pela ingestão de tucumã.

As Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) são causadas pela ingestão de alimentos e/ou água contaminados por micro-organismos, toxinas ou substâncias químicas. Os sintomas podem incluir náuseas, vômitos, dores abdominais, diarreia, falta de apetite e febre.

De acordo com a Vigilância em Saúde de Manacapuru, o alimento foi distribuído nos bairros e outras localidades rurais próximas à sede de Manacapuru. Um menino, de 8 anos, foi a óbito por suspeita da DTA após a ingestão de tucumã, após ter sido internado em hospital da cidade na segunda-feira (12). Outras duas pessoas estão internadas sob a mesma suspeita também no município.

A equipe das vigilâncias Epidemiológica e Sanitária da FVS-RCP iniciou as investigações nesta quarta-feira (14), em Manacapuru, onde seguirá para a comunidade de Irapajé, para realizar a investigação no local e coletar amostras de materiais no Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen/FVS-RCP).

De acordo com o diretor-presidente da FVS-RCP, Cristiano Fernandes, o órgão recebeu a notificação da suspeita de surto na manhã desta quarta. “Após a notificação da ocorrência de casos de DTA associado à ingestão de tucumã, caracterizando um possível surto na localidade, a FVS-RCP destacou, imediatamente, técnicos para investigar a situação”, detalha.

A investigação permite a identificação e eliminação das fontes de contaminação e controlar os casos confirmados da doença. “Serão analisadas as amostras em laboratório para elucidar a provável causa e poder confirmar a existência do surto”, afirmou o chefe do Departamento de Vigilância Epidemiológica da FVS-RCP, Alexsandro Xavier.

A prevenção das doenças transmitidas por alimentos se baseia no consumo de água e alimentos que atendam aos padrões de qualidade da legislação vigente, higiene pessoal/alimentar e condições adequadas de saneamento.

Da redação com informações da FVS-RCP
Foto: Divulgação/Fapeam