Produção clandestina de queijos coloca em risco a saúde dos amazonenses

Produção clandestina de queijos coloca em risco a saúde dos amazonenses

Produção clandestina de queijos coloca em risco a saúde dos amazonenses
Produção clandestina de queijos coloca em risco a saúde dos amazonenses

As intoxicações pela ingestão de queijos podem estar relacionadas a produção clandestina no Amazonas. A BandNews Difusora teve acesso exclusivo à áudios de funcionários que trabalham em condições higiênico-sanitária precárias.

As fábricas só podem funcionar com o selo de inspeção estadual e sempre atendendo às normas da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf).

Na semana passada, nove pessoas passaram mal após igerirem queijo e chegaram a buscar atendimento médico no hospital de Itapiranga.

A ingestão por alimento contaminado acende um alerta à saúde de quem consome o produto. O Amazonas possui atualmente seis queijarias flutuantes. Quatro em Autazes e uma em Parintins.

A mais recente é no município de Careiro da Várzea. A primeira queijaria no Amazonas foi inaugurada no município de Autazes, em 2015. Neste segmento, o Estado é pioneiro, no país, a desenvolver a produção de produtos laticínios em estruturas flutuantes. Ouça:

Reportagem: Tawanne Costa
Foto: Reprodução/ADAF

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email