Cheia 2022: CPRM aponta baixa probabilidade do Rio Negro bater marca histórica do ano passado

Cheia 2022: CPRM aponta baixa probabilidade do Rio Negro bater marca histórica do ano passado

Reportagem: Gabrielle Moura

Dos 62 municípios do estado, 59 já estão sofrendo danos por causa da cheia dos rios e quase 440 mil pessoas estão sendo diretamente afetadas, segundo levantamento da Defesa Civil.

(Foto: Divulgação / Semcom)

Nesta quarta-feira (1), o rio Negro atingiu 29,49m. São 49 cm acima da cota de inundação severa, o que reforça ainda mais a importância de alertar para a magnitude da cheia na região, habilitando os órgãos públicos a tomarem medidas de contenção de danos.

Este ano, a possibilidade de atingir a cota de cheia recorde do ano passado, que foi de 30 metros e 2 centímetros, é de 8%.

De acordo com a pesquisadora do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Luna Gripp, o nível do Rio Negro continua a subir, mas indica uma cheia menor que a do ano passado. (Ouça)

Na capital Manaus, pontes provisórias começaram a ser construídas no centro da cidade. Mais de 300 metros de pontes provisórias serão construídas para conter os desastres naturais e permitir acesso a vias da cidade, como fala o coronel Fernando Pires, da Defesa Civil de Manaus. (Ouça)

No ano passado, de acordo com a Defesa Civil, em todo o Amazonas, mais de 455 mil pessoas foram atingidas pela enchente.