Após questionamentos, Grupo Atem diz que prevaleceu “abordagem técnica” sobre venda da Reman

Reportagem: Ricardo Chaves

O Grupo Atem defende que prevaleceu a “abordagem técnica e minuciosa” do Conselho de Administração de Defesa Econômica (Cade) na operação de venda da refinaria Isaac Sabbá (Reman) da Petrobrás, situada em Manaus (AM). A resposta foi enviada à BandNews Difusora diante da repercussão do assunto no cenário local.

(Foto: Petrobrás)

A afirmativa ocorre após o Sindicato dos Petroleiros do Amazonas (Sindipetro-AM) e entidades ligadas ao setor anunciarem que vão entrar até a próxima semana com recurso no Cade contra a venda. Os petroleiros têm até 15 dias para encaminhar o processo antes da concretização do prazo legal.

Entidades ligadas ao setor afirmam que estudos realizados apontam que a venda da refinaria pode fazer com que o preço da gasolina e do gás de cozinha fique mais caro. O coordenador-geral do Sindipetro, Marcus Ribeiro, argumenta que a venda da refinaria vai gerar a criação de um monopólio privado: (Ouça)

Especialistas também consideram que a medida pode representar um aumento de preços conforme indicam números da única grande refinaria privada brasileira. O economista Aldemir Caetano explica que, por ser a única refinaria da região norte do Brasil, isso pode favorecer um acréscimo no valor do combustível e do gás de cozinha: (Ouça)

O Observatório Social da Petrobras estima que a gasolina estaria 19% mais cara no país se todas as refinarias fossem privadas. O diesel, principal combustível de caminhões e veículos usados para carga e descaga, custaria 12% a mais.

O Sindipetro-AM também questiona o valor da venda da refinaria. Em agosto do ano passado, o Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep) avaliou que o preço mínimo para venda seria de US$ 279 milhões. No entanto, o valor negociado pela Petrobras foi 70% inferior ao valor de mercado negociando a estatal por US$ 189 milhões.

Aldemir Caetano avalia que é preciso que os orgãos reguladores atuam fortemente para garantir que não ocorra abusos no valor repassado ao consumidor: (Ouça)

De acordo com o Grupo Atem a operação vai aumentar a competição no refino sem prejudicar outros mercados relacionados.