Vítimas da covid enterradas em covas coletivas em Manaus serão exumadas para enterro em sepulturas individuais

O prefeito de Manaus, David Almeida, anunciou nesta terça-feira (02), Feriado de Finados, que 15 vítimas de Covid-19 sepultadas em abril do ano passado em valas coletivas, no cemitério Tarumã, serão exumadas para que recebam um enterro digno em covas individuais.

Prefeitura vai exumar corpos enterrados em covas coletivas (Foto: Semcom/Alex Pazuello)

Conforme a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana, Semulsp, a execução do ato está em fase de elaboração, A pasta informa que o procedimento será feito de maneira regular e organizada, ponderando o respeito às vítimas e às famílias.

No auge da segunda onda da pandemia de Covid-19 no Amazonas, o número de mortes chegou a passar das 100 em um único dia. Antes da pandemia, a média diária de mortes não chegava a 30.

Conforme os óbitos pela doença aumentavam, faltava espaço, inclusive no maior cemitério de Manaus, o Parque Tarumã, que fica na zona oeste da capital. Na época, a alternativa para enterrar o grande número de mortos foi abrir as chamadas covas coletivas.

As cenas ganharam repercussão no mundo todo. Alguns familiares, não aceitavam que seus parentes fossem enterrados daquela forma, sem direito a um enterro digno: (Ouça)

Teve quem se despediu do ente querido em meio às maquinas que abriam as valas, para mais caixões serem enterrados: (Ouça)