Univaja denuncia omissão em relação a casos de violência no Vale do Javari

Univaja denuncia omissão em relação a casos de violência no Vale do Javari

Reportagem: Ricardo Chaves

O Comando Militar da Amazônia (CMA) enviou 150 militares para auxiliar nas buscas ao jornalista britânico Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, e ao servidor da Funai, Bruno Araújo Pereira, desaparecidos deste o último domingo (5) na Terra Indígena Vale do Javari, na Amazônia. A Univaja afirma que as vítimas vinham recebendo ameaças.

(Foto: Divulgação/Funai)

Em coletiva realizada nessa terça-feira (7), o assessor jurídico da Univaja, Yura Marubo, afirmou que a área é sistematicamente alvo de episódios de violência armada contra indígenas e funcionários da Funai, mas as autoridades são omissas aos alertas dos representantes. (Ouça)

A terra indígena do Javari tem a segunda maior população do país com estimativa de mais de 6 mil habitantes e fica na região de fronteira com Peru. Yura Marubo também disse que são os próprios povos originários que fazem a segurança do território. (Ouça)

Em meio à essa tensão, as famílias dos desaparecidos pedem empenho das autoridades para encontrar as vítimas. Emocionada, a esposa de Dom Philips, Alessandra Sampaio, afirma que ainda tem esperanças de encontro do marido. (Ouça)

Em uma carta aberta divulgada pela família do indigenista Bruno Pereira pediu prioridade e urgência nas buscas. Além disso, o texto pede que seja garantida segurança às equipes que trabalham no resgate. 

Em nota, o Conselho Indigenista Missionário reforçou a necessidade de ampliação de equipes e o uso de mais helicópteros.