UEA pode ter perda milionária após Governo Federal descumprir promessa feita ao AM sobre IPI

UEA pode ter perda milionária após Governo Federal descumprir promessa feita ao AM sobre IPI

Reportagem: Tawanne Costa

Mais de 19 mil estudantes da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), podem ser afetados pelo decreto com a redução de 25% do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no Brasil, que afeta a competitividade da Zona Franca de Manaus.

(Foto: Divulgação/Ascom UEA)

Isso pode acontecer porque a UEA recebe 1% do faturamento do Polo Industrial de Manaus (PIM), o que resulta, anualmente, em torno de R$400 milhões para a Universidade. Essa receita possibilita que se invista em ensino, pesquisa e extensão, criando capital.

A perda do faturamento na ZFM afetará diretamente a universidade, que depende do recurso para qualificar mão de obra. A informação foi dada pelo senador do Amazonas, Omar Aziz. (Ouça)

A instituição teme que a queda de faturamento da ZFM acabe atrapalhando os investimentos ao ensino. Segundo o reitor da UEA, André Zogahib, os financiamentos universitários devem ser fortemente afetados. (Ouça)

Na semana passada, o Governo Federal publicou uma edição extra do decreto. Segundo o documento, a aprovação da tabela do IPI entra em vigor a partir do dia 1 de maio.

O Governo do Amazonas afirmou, na semana passada, que entraria com uma ação direta de inconstitucionalidade no STF para revogar o decreto do IPI que não excepcionaliza os produtos da Zona Franca de Manaus.