Surto causado pela Ômicron causa aumento significativo de internações de crianças no AM

Surto de Covid pela Ômicron causa aumento significativo de internações de crianças no AM

Reportagem: Cindy Lopes

O avanço da variante Ômicron do coronavírus causou o aumento significativo de internações de crianças no Amazonas. De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde, até essa quarta-feira (19), 47 crianças estavam hospitalizadas na rede de saúde por complicações causadas pelo coronavírus. Três delas em UTI.

O avanço da variante Ômicron do coronavírus causou o aumento significativo de internações de crianças no Amazonas, de acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde.
(Foto: Divulgação/Clóvis Miranda/DPE-AM)

O número de internações entre esse público aumentou significativamente nas últimas semanas, saindo de três hospitalizações no dia 1º de janeiro para as 47 desta quarta (19). Os dados são do Governo do Amazonas, baseados no boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde e no painel de internações.

O boletim da FVS divulgado nessa quarta-feira (19) mostra que 551 pessoas estão internadas no Amazonas, 82 delas em UTI.

O epidemiologista da Fiocruz, Jesem Orellana, alerta para a gravidade da situação, principalmente porque a vacinação contra a Covid-19 em crianças começou de forma tardia. (Ouça)

Orellana ressalta que a ocupação de leitos de enfermaria infantis na capital é duas vezes maior que a quantidade registrada na época em que o estado enfrentava um colapso no sistema de saúde, causado pelo aumento de internações, em janeiro de 2021. (Ouça)

O avanço da pandemia fez o Amazonas bater recorde de novos casos diários de Covid-19 e aumentar o número de internações na capital.

Segundo dados do Painel de Acompanhamento de Leitos do Amazonas, o estado está com cerca de 90% dos leitos clínicos ocupados e, aproximadamente, 80% de ocupação dos leitos de UTI.

Em apenas um dia, o estado teve 7 mil e 500 novas infecções, o maior número desde o início da pandemia.

As medidas básicas de prevenção ainda são as mesmas, como o uso de máscaras faciais e a utilização do álcool em gel, como orienta o infectologista Nelson Barbosa. (Ouça)

Apesar de o Amazonas viver hoje uma explosão de casos de coronavírus, o número de mortes permanece baixo, o que é atribuído à vacinação, que já alcança 82% da população com as duas doses e 62% com esquema vacinal completo.