Sobe para 66 o número de casos suspeitos de rabdomiólise no Amazonas

Sobe para 66 o número de casos suspeitos de rabdomiólise no Amazonas

Sobe para 66 o número de casos suspeitos de rabdomiólise no Amazonas
Sobe para 66 o número de casos suspeitos de rabdomiólise no Amazonas

Os dados foram divulgados ontem (15) pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) que atualizaou o cenário epidemiológico de rabdomiólise no Estado.

Dos 54 casos em investigação, são 33 em Itacoatiara, 6 em Parintins, 4 em Urucurituba, 3 em Manaus, 3 em Silves, 2 em Maués, 1 em Autazes, 1 em Caapiranga e 1 em Manacapuru. Seguem internadas 4 pessoas suspeitas, sendo 1 em Urucurituba, 2 em Parintins e 1 em Itacoatiara.

Os casos estão sendo monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da FVS-AM em parceria com as equipes de Vigilância Epidemiológica municipais, para classificar os casos que realmente atendem à definição de suspeitos para rabdomiólise.

Rabdomiólise

A rabdomiólise é uma situação grave caracterizada pela destruição das fibras musculares, o que leva à liberação dos componentes presentes no interior das células musculares para a corrente sanguínea, como cálcio, sódio e potássio, mioglobina, creatinofosfoquinase e a enzima transaminase pirúvica (TGP). Grandes quantidades dessas substâncias no sangue podem resultar em falta de força, diminuição da urina, fadiga muscular e insuficiência renal, caso não seja identificada e tratada.

Como as substâncias liberadas são tóxicas em elevadas quantidades, é importante que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível, sendo recomendado ir ao hospital ou ao pronto-socorro assim que se suspeitar de rabdomiólise. A rabdomiólise pode acontecer devido à prática de atividades físicas extenuantes e de duração prolongada ou como consequência de um trauma direto ou indireto em um músculo do corpo, sendo também importante identificar a causa para que o tratamento seja mais direcionado.

Da redação
Foto: Reprodução