Sem eficácia contra covid, Ivermectina é receitada em UBS Manaus

Sem eficácia contra covid, ivermectina é receitada em UBS de Manaus

Reportagem: Ricardo Chaves e João Felipe Serrão

Apesar da ineficácia comprovada em estudos científicos, a ivermectina continua sendo um dos medicamentos receitados por profissionais para o tratamento contra a Covid-19 em unidades da saúde pública de Manaus. Uma denúncia recebida pela BandNews Difusora retrata imagens de um receituário do dia de 18 de janeiro com a prescrição do medicamento, emitido na UBS Ivone Lima dos Santos, na zona Leste de Manaus.

O remédio, que é utilizado há mais de 40 anos para combater vermes, parasitas e ácaros, foi receitado por médicos da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

A ouvinte que terá a identidade preservada, observou a prescrição do remédio quando um de seus funcionários enviou atestado médico junto aos medicamentos solicitados. (Ouça)

(Foto: Reprodução/Diego Vara/Agência Brasil)

Diversas organizações médicas no Brasil e no mundo, como a Sociedade Brasileira de Infectologia e Organização Mundial de Saúde (OMS), não recomendam o medicamento para combater a Covid-19.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em nota publicada em seu site, informa que não existem estudos conclusivos que comprovem o uso da ivermectina para o tratamento da doença, como também não existem pesquisas que refutem esse uso.

Após aderir ao chamado ”Kit Covid” nos primeiros meses de sua administração, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante) mudou o tom nos últimos meses com relação ao fármaco. Para a BandNews Difusora em outubro de 2021, ele defendeu que as pessoas devem escutar médicos e cientistas, quando o assunto é saúde. (Ouça)

O prefeito voltou a reforçar a orientação no dia 14 janeiro, semana em que os boletins da FVS, mostravam que 78% das pessoas internadas em hospitais da capital não haviam completado o esquema vacinal.

Na avaliação do infectologista Nelson Barbosa, a autonomia do médico não dá direito de prescrever remédios que sejam cientificamente ineficazes contra a Covid-19. (Ouça)

Procurada pela BandNews Difusora, a Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) reiterou, por meio de nota, que a prescrição de medicamento é um ato médico e que desde o início da pandemia, a Prefeitura de Manaus não determina e não orienta nenhum tipo de prescrição.

O modelo do receituário que leva a marca da atual gestão da prefeitura também foi questionado. Em nota, a pasta disse que não tem ingerência ou interferência sobre a prescrição adotada pelo profissional.

O Conselho Regional de Medicina (CRM) também foi procurado, mas até o fechamento da reportagem não se pronunciou sobre o assunto.