Ribeirinhos denunciam falhas no atendimento médico do programa Samu Fluvial na região metropolitana

Ribeirinhos denunciam falhas no atendimento médico do programa Samu Fluvial na região metropolitana

Reportagem: Tawanne Costa

Moradores da Comunidade do Rio Tarumã, na região Metropolitana de Manaus, relatam que estão tendo dificuldades com os atendimentos do Samu Fluvial. Segundo os ribeirinhos, os casos de urgência e emergência estão deixando de ser realizados porque o serviço 192 não funciona.

(Foto: Divulgação/Altemar Alcântara/Semcom)

Os comunitários reclamam que mesmo tentando com o sinal de internet fraco, as chamadas não completam, o que coloca em risco os doentes de casos graves das mais de 30 comunidades da área do Rio Negro.

O morador da comunidade Bela Vista do Jaraqui, Daniel Araújo, explica as dificuldades logísticas para solicitar o serviço. (Ouça)

As comunidades ficam de 8 a 120 km de distância da capital e ambulância fluvial demora até duas horas para chegar até o local. A situação coloca os pacientes ainda mais em risco.

Cledson Roberto é residente da Comunidade do Pagodão. Por lá também a situação se repete. Ele reclama da demora. (Ouça)

Os moradores pedem que a pasta responsável disponibilize um contato via whatsapp para facilitar a solicitação do serviço durante as ocorrências.

A BandNews Difusora FM entrou em contato com a prefeitura de Manaus e aguarda resposta.