Flanelinhas constrangem e hostilizam motoristas em Manaus

População relata incômodo com abordagem de flanelinhas em Manaus

Os flanelinhas que atuam na cidade causando problemas para os motoristas que precisam estacionar os veículos em ruas e avenidas, espaços públicos de Manaus. Eles relatam que são ameaçados ou tem o carro riscado quando se recusam a pagar o valor que eles pedem.

Na capital, mil flanelinhas estão registrados na Associação dos Guardadores e Lavadores Autônomos de Veículos do Amazonas (Aglavam), dos quais 280 atuam na zona sul, mas entre eles existem os flanelinhas irregulares que usam da função para cometer crimes e pedir dinheiro dos motoristas.

O autônomo Arlan Paz fala que leva dinheiro extra; um para pagar o sistema rotativo e outro, para os flanelinhas. (ouça)

Em 2014, tramitou na Câmara Municipal de Manaus um projeto que proibia a atuação de flanelinhas em ruas, avenidas e espaços públicos da capital. O projeto não foi aprovado e foi rejeitado pelo demais vereadores.

De acordo com o presidente da Aglavam, Henrique André, a categoria busca uma forma de identificar os lavadores de carros associados. (ouça)

O Advogado Fernando Borges explica a prática de extorsão e coação nas ruas. (ouça)

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) sobre as questões de segurança todo cidadão que sofrer ameaças por qualquer pessoa, deve registrar Boletim de Ocorrência imediatamente para que o fato seja investigado pela Polícia Civil.

A PM diz que orienta os guardadores de carros que atuam no comércio da zona sul, em especial no centro da capital para evitar a atuação de infratores se passando por flanelinhas nessa região.

Reportagem: Gabrielle Moura
Foto: Reprodução/Internet