Museu da Amazônia: espaço procurado por turistas em Manaus sofre com assaltos e pouca segurança.

Museu da Amazônia: espaço procurado por turistas em Manaus sofre com assaltos e pouca segurança

Um dos principais pontos turísticos de Manaus, o Museu da Amazônia (MUSA), passou por uma situação de tensão no último sábado (20). Um homem armado arrombou uma das grades de segurança, imobilizou e assaltou 20 visitantes do Museu. O suspeito ainda não foi identificado.

O fato levanta debates a respeito do cuidado e preservação do patrimônio, hoje abandonado no setor de segurança. Apenas dois guardas desarmados são responsáveis por fazer a segurança dos 100 hectares ou um quilômetro quadrado, que compreendem o musa.

 Museu da Amazônia: espaço procurado por turistas em Manaus sofre com assaltos e pouca segurança.
Museu da Amazônia: espaço procurado por turistas em Manaus sofre com assaltos e pouca segurança.

O diretor geral do espaço, Ennio Candotti, reforça que é fundamental o apoio do poder público para a proteção do local. (ouça)

Ennio publicou uma carta aberta pedindo ajuda ao governo do estado e à prefeitura de Manaus no reforço da segurança. Na carta, ele destacou que, em um dia, o Musa chegou a ter mais de mil e quatrocentos visitantes e que o sucesso de público contrasta com a capacidade de garantir a integridade física de quem frequenta o ambiente.

O diretor faz um apelo para que a sociedade volte mais os olhos para o Museu da Amazônia. (ouça)

O assalto no MUSA repercutiu na Assembleia Legislativa do Amazonas, a Aleam. O deputado Serafim Corrêa, do PSB, cobrou das autoridades uma resposta a ação criminosa. (ouça)

Uma estudante que não quer ser identificada estava no Musa no momento do assalto. Após o susto, ela conta que repensa se vair retornar ao museu. (ouça)

Criado em janeiro de 2009, o Musa ocupa 100 hectares da Reserva Florestal Adolpho Ducke, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA, em Manaus. A área, com um grande biodiversidade, é usada para pesquisas científicas há mais de 60 anos.

Durante o auge da pandemia, o museu quase fechou as portas pela ausência de visitas e falta de investimentos.

O Musa é uma associação civil de direito privado, que faz parcerias com instituições como a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Reportagem: João Felipe Serrão

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email