Mortes por atropelamento no trânsito aumentam 60% no AM

A cada três dias, uma pessoa perdeu a vida em acidente de trânsito no Amazonas, neste ano. De janeiro a abril, as mortes por atropelamento no Amazonas tiveram um aumento. O estado registrou 37 mortes por atropelamento, uma alta de 60% na comparação com as 23 do ano passado.

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

Além da alta das mortes por atropelamento no Amazonas, o número de casos também chama atenção porque todas as ocorrências se deram fora da faixa de pedestre.

A dona de casa, Francineide Guedes, perdeu a filha e o neto em um acidente e convive com a saudade deles. Ela afirma que a vida muda muito e que foi difícil continuar morando na mesma casa que dividia com os familiares que perdeu.

A maioria das mortes no trânsito ocorreu na capital, um total de 30 óbitos após atropelamento. No interior, foram sete.

Para a técnica especialista em trânsito do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonice Reis, o cuidado precisa ser redobrado pelo motorista e pedestre, sobretudo nas grandes avenidas e vias de movimentação intensa de veículos. Para Leonice, o pedestre precisa ter mais consciência nas ruas e sempre utilizar passarelas.

De acordo com ela, muitos acabam atravessando em locais perigosos por indisposição de andar um pouco mais para achar uma passarela ou faixa de pedestre.

As mortes por atropelamento representaram mais de 35% das vidas perdidas no trânsito da capital, em 2021.

Dicas

Algumas das medidas indicadas para garantir maior proteção aos pedestres são:

  • atravessar a faixa de pedestres em todos os momentos e aguardar na calçada que todos os carros parem por completo;
  • peça ajuda a outro pedestre se tiver dificuldade em se mover;
  • não atravesse se o veículo estiver a toda velocidade e perto da faixa de pedestres.

Você pode ouvir a reportagem na íntegra:

Reportagem: Cindy Lopes
Foto: Euzivaldo Queiroz