Manaus mantém o médio risco para as doenças transmitidas pelo mosquito-da-dengue.

O dado consta no 2º Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), do ano de 2023, no período de 6 a 22 de novembro, apontou um índice de infestação de 1,5%, considerado como de médio risco.

Os depósitos que mais contribuem para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, em Manaus, são os do tipo B, que são os depósitos móveis, como vasos, frascos com água, pratos, pingadeiras e bebedouros, representando 30,3% dos depósitos predominantes.

Já os depósitos de armazenamento de água para consumo em nível de solo, como tambores, tonéis ou camburões, barris e tinas, representaram 29,9% dos depósitos identificados no LIRAa. Os recipientes do tipo lixo, garrafas, latas e ferro-velho são 25,4% dos depósitos encontrados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *