Manaus é a 4º cidade com maiores movimentações aéreas, segundo IBGE

Manaus é a 4ª cidade do país com maior movimentação aérea, diz IBGE

Entre as 25 cidades com a maior movimentação aérea, estão as 15 metrópoles, identificadas pela pesquisa Regiões de Influência das Cidades – REGIC, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), bem como oito das nove Capitais Regionais A. Manaus aparece como a quarta cidade do país com maiores movimentações aéreas, atrás apenas de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, e isso se deve, principalmente, ao transporte de cargas.

O transporte de cargas de Manaus agita o setor aéreo tornando a cidade a 4º com maior fluxo de movimentação do país. (Foto: José Zamith de Oliveira Filho/Agência Brasil)

Em 2019, foram transportados, por via aérea, 90.782.553 kg de cargas (22,6% do total nacional), e 2.718.442 passageiros (2,9% do total nacional). Além disso, Manaus foi a segunda cidade que mais transportou cargas, atrás somente da cidade de São Paulo (230.135.978 kg).

Geralmente, o transporte de cargas está correlacionado a produtos com alto valor agregado por metro cúbico, cuja produção pode estar concentrada espacialmente, como no caso de Manaus, ou que são perecíveis e não disponíveis nos locais de consumo/uso e, portanto, exigem rápido deslocamento entre a oferta e a demanda.

Reflexos pandemia

Os impactos da pandemia de Covid-19 no setor aéreo de Manaus em 2020 trouxeram várias mudanças, levando a capital amazonense à queda de 41,7% no número de passageiros e mantendo o patamar do transporte de carga, com uma modesta alta de 1,72%. Além disso, vale ressaltar que Manaus foi a segunda cidade que mais transportou carga em 2019, atrás apenas da cidade de São Paulo.


No setor aéreo nacional, ainda em 2020, houve redução de 53% no número de passageiros e de 29,6% no transporte de cargas em relação a 2019. Com isso, os viajantes passaram de 93,8 milhões para 44 milhões, enquanto as cargas tiveram redução de 400 mil toneladas para 282 mil toneladas.


Assim como a comercialização de assentos, as tarifas aéreas também caíram na comparação entre 2019 e 2020. Para a capital amazonense foi registrada uma queda de 11,5% das tarifas médias de todas as passagens aéreas comercializadas que a tiveram como destino final. Já para a cidade de Parintins (AM), a queda foi de 10,2%, a tornando a 3ª cidade mais acessível economicamente pelo transporte aéreo de passageiros para 2020.


Os dados fazem parte do estudo Redes e Fluxos do Território: Ligações Aéreas (2019-2020), divulgados na sexta-feira (10) pelo IBGE. O produto também está disponível na Plataforma Geográfica Interativa (PGI), onde o usuário pode fazer seus próprios cruzamentos e baixar as tabelas e mapas.

Da redação