AO VIVO

Justiça do AM conclui que Dom e Bruno morreram ao defender direitos indígenas e envia caso à esfera federal

A Juíza de Direito Jacinta Silva, da Comarca de Atalaia do Norte, pede que a Justiça Federal cuide do processo que trata do homicídio do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Philips, ocorrido no mês passado.

A Comarca de Atalaia observou que o relatório das investigações das Polícias Civil e Federal, e consta nos autos processuais, conclui que a motivação do crime estaria relacionada com os direitos indígenas, cuja análise da matéria jurídica é de competência da Justiça Federal.

(Foto: Reprodução)

Nesta quarta-feira, 6, a polícia Civil e Federal pediu à justiça do Amazonas, a conversão da prisão temporária para preventiva de Amarildo da Costa Oliveira, 41, conhecido como “Pelado”, Oseney da Costa de Oliveira, 41, o “Dos Santos”, e de Jeferson da Silva Lima, o “Pelado da Dinha”.

Na mesma solicitação, foi requisitada a prorrogação do prazo de duração do Inquérito Policial (IP) por mais 120 dias, a serem avaliados pelo judiciário. Esse pedido deverá ser analisado agora pela Justiça Federal, caso aceite a declinação de competência.

Os envolvidos permanecem custodiados na delegacia em Atalaia do Norte, sem previsão de envio para outro lugar.

Os homens são suspeitos de participação nos assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Philips, no Vale do Javari, na Amazônia. O crime completou um mês na última terça-feira (5).

Da redação

Últimas Notícias