IPI e ZFM: Sindicato fala em milhares de demissões imediatas e arquidiocese alerta para aumento da pobreza

IPI e ZFM: Sindicato fala em milhares de demissões imediatas e arquidiocese alerta para aumento da pobreza

Reportagem: Ricardo Chaves

Dois meses depois do primeiro decreto do Governo Federal de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados, o IPI, dirigentes de sindicatos ligados ao Polo Industrial de Manaus temem que medida aumente a pobreza e o desemprego.

Dirigentes de sindicatos ligados ao Polo Industrial de Manaus temem que medida aumente a pobreza e o desemprego.
(Foto: Reprodução/Internet

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas aproximadamente 3 mil empregos podem estar em risco imediato devido à insegurança jurídica causada pela redução em 25% do IPI. A informação é do presidente do sindicato, Waldemir Santana. (Ouça)

De acordo com dados do próprio Sindmetal, entre 2021 e o início de 2022, mais de 4,7 mil postos de trabalho foram encerrados devido à pandemia.

Trabalhadores do setor termoplástico também acompanham apreensivos os impactos que o decreto. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Material Plástico, Francisco Brito, diz que a medida já afeta negativamente o setor que emprega mais de 10 mil trabalhadores. (Ouça)

Na última semana, o arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Steiner, pediu que a sociedade civil exija dos governantes e do judiciário a revogação do decreto do IPI. Dom Leonardo destacou a situação de pobreza e a quantidade de atendimentos realizados pela Cáritas em Manaus. (Ouça)

Um levantamento do site Poder 360 aponta que o Amazonas está entre os estados que mais possuem beneficiários do Auxílio Brasil. Os dados mostram que até fevereiro de 2022, mais de 448 mil pessoas trabalhavam de carteira assinada no Amazonas, número menor do que o total de beneficiários do programa Auxílio Brasil que ultrapassa os 478 mil. Uma diferença de 28 mil pessoas a mais recebendo benefício em comparação com empregados com registro formal de carteira de trabalho.

Em entrevista à colunista de política da BandNews Difusora FM, Rosiene Carvalho, o presidente do Centro das Indústrias do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, destacou a importância social do modelo Zona Franca para a região. (Ouça)

O Amazonas está entre os estados que possuem os menores índices de recuperação do nível de emprego registrado anteriormente à pandemia, com um crescimento de apenas 68%, de acordo um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), divulgado em abril.