Gás de cozinha sobe no AM

Preço do gás de cozinha passa dos 100 reais em Manaus

O preço médio do gás de cozinha bateu a marca de R$ 100 em toda a Região Norte. Em Manaus, o produto chega a ser vendido a R$ 103 no cartão de crédito, apesar do Amazonas possuir a maior bacia de gás natural em terra firme do país.

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), um botijão de 13 kg de gás custa R$ 20 a mais para a população nortista do que para os demais brasileiros.

O aumento no valor do gás domiciliar pesa no bolso do consumidor.

Carinne Souza, dona de uma lanchonete, sentiu esse aumento.

“Para compensar, nós temos que cortar outros custos. Tentamos economizar com gastos de luz, água, nos alimentos também. Infelizmente temos que repassar isso para os clientes, então aumentamos o preço dos produtos.

A mesma coisa aconteceu com outros ouvintes da BandNews Difusora, o aposentado Joaquim Oliveria e dona de casa Edvânia de Paula. Eles falam das dificuldades com o aumento do produto.

“O preço vem nos fazendo sofrer. Nós que ganhamos um salário mínimo temos que sobreviver com isso”, disse o aposentado.

“O bolo que fazíamos toda semana já não dá mais para fazer, o feijão eu já cozinho uma grande quantidade. Evito o uso de forno e coisas que demoram muito tempo para ficar prontas”, disse a dona de casa.

O presidente da Associação dos Revendedores de GLP, Alexandre José, afirma que o setor não tem como segurar o aumento.

“Nós não temos capital de giro. Quando eu vendo um botijão para o consumidor, eu tenho que repor. Se eu não repassar ele com aumento – porque eu já comprei com aumento – não consigo repor o estoque que é pequeno. O estoque de revenda é mínimo” disse Alexandre.

Os recorrentes reajustes promovidos pela Petrobras em suas refinarias, onde o gás é produzido, empurraram os preços para cima em todo o Brasil.

No Norte, no entanto, as alíquotas do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) mais elevadas pesaram ainda mais.

Ouça este conteúdo:

Reportagem: Guilherme Guedes
Foto: Divulgação