Escolas da zona rural de Manaus já são afetadas pela cheia dos rios

Escolas da zona rural de Manaus já são afetadas pela cheia dos rios

Reportagem: Tawanne Costa

Pelo menos cinco escolas da região metropolitana de Manaus já estão afetadas pela cheia dos rios. As escolas municipais da zona rural possuem um calendário diferenciado por causa das especificidades climáticas de vazante e cheia. Em razão disso, as aulas iniciam em janeiro e seguem até outubro, sem recesso escolar no meio do ano, incluindo alguns sábados letivos por mês.

(Foto: Antonio Pereira / Semcom)

A dona de casa, Maria de Souza, tem uma filha que estuda na escola Maria Elide Cavalcante, no Lago do Jandira, área rural nas proximidades do Iranduba. Ela relata as dificuldades vividas nesse período. (Ouça)

A Divisão Distrital Zonal Rural da Secretaria Municipal de Educação (Semed) é composta por 83 unidades de ensino, que atendem ao ensino fundamental, sendo 21 unidades no rio Amazonas e 29 escolas no rio Negro, totalizando mais de 12 mil alunos.

Segundo a chefe da divisão, Rosa Denise Diniz, as escolas devem receber as chamadas marombas, uma espécie de assoalho feito de madeira por cima da estrutura já existente, para que os alunos não percam o ano letivo. (Ouça)

A Secretaria Municipal de Educação, Fundo Manaus Solidária e a Defesa Civil devem fazer o levantamento das escolas ainda nessa semana.