Durante evento religioso em Manaus, Bolsonaro volta a culpar isolamento social por alta de preços no país

O Presidente Jair Bolsonaro participou na manhã desta quarta-feira (27), no Centro de Convenções Vasco Vasques, na zona centro oeste de Manaus, da Primeira Consagração Pública de Pastores do Estado do Amazonas. O chefe do executivo voltou a criticar o lockdown no período mais grave da pandemia da covid-19 no país. Segundo ele, a política do “fica em casa” colocou o país na condições de preços altos da gasolina e do gás de cozinha, além de ter deixado milhões de trabalhadores informais na miséria.

Presidente Bolsonaro recebeu bênção de pastores durante encontro (Foto: Divulgação)

“A turma do fica em casa, que depois veria a economia… Com isso, 38 milhões de pessoas foram lançadas na miséria. Não fosse ajuda do Governo Federal essas pessoas estariam nas ruas”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro defendeu a liberdade de expressão ao criticar as medidas do Supremo Tribunal Federal, que determinou a prisão de políticos alinhados ao Governo, e disse que é preciso renovação na corte, lembrando que o presidente eleito em 2022 já no início de mandato deve indicar dois novos ministros.

“É saudável fazer renovação no legislativo e judiciário. Veja o que aconteceu com a Venezuela, um país riquíssimo da América do Sul e para onde foi?”, completou o presidente.

Outra afirmação de Bolsonaro foi a de que no governo atual não há mais invasões de terra pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e que quase não há mais conflitos em terras indígenas. A Comissão Pastoral da Terra lançou em maio deste ano o relatório “Conflitos no Campo Brasil – 2020”, que apontou aumento de invasões a terras indígenas de 102,85% de 2019 para 2020.

Além do presidente, participaram do evento o prefeito de Manaus, David Almeida, o governador do Amazonas, Wilson Lima, o pré-candidato ao senado Alfredo Menezes, entre outros políticos.

Jair Bolsonaro chegou a Manaus na noite dessa terça-feira (26), quando participou de uma cerimônia de formatura de policiais militares e de um jantar na casa do ex-ministro da saúde Eduardo Pazuello. O Presidente da República participa ainda nesta quarta-feira em Manaus de um evento da Igreja Evangélica Assembleia de Deus e, logo depois, deve retornar para Brasília.