Desafio de atletas amazonenses começa antes mesmo de competições; projeto busca apoiar quem tem menos recursos

Desafio de atletas amazonenses começa antes mesmo de competições; projeto busca apoiar quem tem menos recursos

Reportagem: Clara Toledo / Locução: Tawanne Costa

Quando vemos atletas atingindo o pódio, certamente imaginamos todo o esforço físico necessário para alcançar a premiação. O que não se vê é o investimento financeiro que a maioria dos atletas tira do próprio bolso.

(Foto: Lucas Silva/Secom)

Gabriele Baraúna tem 10 anos e é atleta de jiu-jitsu. A pequena lutadora teve que se virar junto com a família para bancar a viagem até São Paulo, em uma competição. O pai da atleta, Gabriel Guimarães, fala o esforço necessário. (Ouça)

Sem incentivos e apoio, muitas vezes, grandes talentos se perdem. No entanto, um novo projeto chamado Bolsa Esporte busca corrigir essa lacuna. Lançado no último dia 15 de maio, o benefício vai apoiar esportistas, paratletas e atletas como Gabriele. O patrocínio oferta 430 vagas em bolsas que variam de R$ 400 a R$ 3 mil mensais. As inscrições seguem abertas até o dia 14 de junho, no site da Fundação Amazonas de Alto Rendimento.

(Gabriele Baraúna é uma das esportistas que vai receber apoio do Bolsa Esporte. Foto: Fotografia Assis)

A estudante Ketlen Cristina, de 16 anos, treina futebol e se inspira na jogadora Marta Silva, eleita seis vezes a melhor do mundo. A jogadora, que treina pelo Projeto Esporte e Lazer na Capital e Interior (Pelci), no Prosamin do igarapé do Santo Agostinho vai concorrer ao patrocínio para alcançar o objetivo de viver do futebol. (Ouça)

O paratleta do halterofilismo, Carlos Cézar Conceição, é ranqueado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. Ele, que foi 4º lugar no Campeonato Brasileiro Paralímpico de Halterofilismo, em 2021, também ressalta a importância de contar com um incentivo financeiro. (Ouça)

Durante o anúncio do Bolsa Esporte, o governador Wilson Lima reforçou que o patrocínio tem como objetivo projetar o estado por meio dos talentos amazonenses. (Ouça)

São 300 vagas aos desportistas da base, que receberão em forma de patrocínio o valor de R$ 400 mensais. Para os atletas e paratletas de alto rendimento e que disputam competições nacionais e internacionais, são 100 vagas, com cada uma recebendo o incentivo de R$ 1 mil, mensais.

Para atletas de modalidades olímpicas, são destinadas 30 vagas com um investimento de R$ 3 mil cada, mensal. O contrato terá validade de até seis meses.