Com maior viaduto do norte, complexo promete tirar carretas do trânsito de Manaus

Tirar grandes veículos de regiões centrais das cidades é uma solução já utilizada em metrópoles do Brasil, como São Paulo. Para isso, as alternativas são os anéis rodoviários. Um deles está sendo construído em Manaus. A obra do Anel Rodoviário Sul e Leste está em andamento e quando ficar pronto será um corredor de ligação entre o aeroporto de Manaus e o Distrito Industrial.

Serão 27 quilômetros de pista expressa, saíndo do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, passando pelas regiões do Tarumã, do Nova cidade e Reserva Adolpho Ducke até chegar na Avenida Oitis, já no Distrito. O secretário de infraestrutura do Amazonas, Carlos Henrique Lima, afirma que assim veículos de carga poderão cumprir seu propósito trafegando “por fora” das regiões mais sensíveis do trânsito de Manaus.

O investimento total para a construção do novo Anel Rodoviário é de R$ 305 milhões, incluindo indenizações de desapropriação. O secretário de infraestrutura, Carlos Henrique de Lima, explica que, por estar em regiões menos movimentadas, a obra não é vista pela maior parte do público. Mas algumas intervenções já fazem parte da rotina de quem vive na capital.

É o caso do viaduto Lydia da Eira Correa, novo complexo viário na Torquato Tapajós. Inaugurado em dezembro de 2020 é o maior viaduto em área construída da região norte. A previsão de conclusão de todo o Anel Sul e Leste é dezembro de 2022. Ouça:

Reportagem: Rafael Campos
Fotos: Joel Arthus