Caso Flávio: Justiça decide que Alejandro não vai a júri popular e absolve Paola

A Justiça do Amazonas decidiu que Alejandro Molina Valeiko não irá a júri popular sob a acusação de participação no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues, crime ocorrido em 2019 em Manaus. A irmã dele, Paola Valeiko Molina, acusada de fraude processual, foi absolvida.

A decisão é do juiz Celso Souza de Paula, da 1.ª Vara do Tribunal do Júri de Manaus, e foi proferida na sexta-feira (17). O réu José Edvandro Martins de Souza, que respondia por denunciação caluniosa, também foi absolvido.

Por decisão da Justiça, Alejandro Valeiko não vai a juri popular (Foto: Divulgação/PC)

Na parte em que trata do acusado Alejandro Valeiko, o juiz argumentou na decisão que “durante a fase de investigação e apresentadas durante a ação penal, não comprovam, em momento algum, os necessários indícios suficientes de autoria delitiva do acusado Alejandro”.

Sobre a absolvição de Paola Valeiko, a decisão afirma que “o Ministério Público, a quem cabe o ônus da prova, não conseguiu demonstrar de forma inequívoca o dolo por parte da acusada”.

Dessa forma, somente os réus Elizeu da Paz de Souza e Mayc Vinicius Teixeira Parede vão ser levados a julgamento popular.

O engenheiro Flávio Rodrigues foi morto em setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Valeiko. O corpo da vítima foi encontrado com marcas de faca em um terreno baldio próximo a ao condomínio onde o engenheiro estava na noite anterior, no bairro Ponta Negra, na zona Oeste de Manaus.