Casal nômade troca viagens pelo mundo por vida no meio da floresta Amazônica

Casal nômade troca viagens pelo mundo por vida no meio da floresta Amazônica

Reportagem: Cindy Lopes

Do sudeste do país ao coração da Amazônia. Nayara e Jair Rebello abandonaram os privilégios de uma vida confortável em Minas Gerais para começar uma nova história na zona rural do município de Manacapuru, a 70 quilômetros de Manaus. Um sítio, longe de tudo, foi o local escolhido pelo casal para criar o Mateus, de 5 anos, e o Lucas, de um ano e 9 meses.

Desde outubro de 2021, o casal nômade trocou a rotina da cidade grande por uma vida no interior do Amazonas. (Foto: Arquivo pessoal)

Mas pra gente entender como uma nutricionista e um analista de sistemas trocaram a agitação da cidade por uma vida mais tranquila, é preciso voltar um pouco essa história.

Nayara é mineira e veio para Manaus em 2001 onde conheceu Jair. Ambos tinham uma vida estável aqui na capital, mas estavam insatisfeitos com a rotina diária. Em 2015, o casal decidiu arrumar as malas e pôr o pé na estrada. Foram 6 anos viajando pelo mundo. (Ouça)

Em 2020, a pandemia obrigou o casal nômade a dar uma pausa nas aventuras. Foi aí que Lucas, o segundo filho, entrou na história e a família começou a pensar na ideia de ter um lugar fixo para viver. (Ouça)

Em outubro do ano passado, o casal colocou a mochila nas costas mais uma vez, e em uma viagem de 11 dias pela estrada, chegou ao destino final: a Amazônia!

Hoje, o casal nômade, como é conhecido na Internet, está construindo um sítio na zona rural de Manacapuru. O lugar é cortado por um igarapé, como são chamados os braços de rio na Amazônia, e é cercado por floresta. É claro quem nem tudo são flores e a gente não está no filme da Lagoa Azul. Jair conta que essa aventura exige muito planejamento. (Ouça)

Mas pela ótica do Mateus, não tem dificuldade não. Ele ama essa vida nômade e, inclusive, acorda cedinho pra ver o nascer do sol. (Ouça)

O casal nômade trabalha de forma remota e compartilha a vida perto da natureza na internet pelo Instagram e TikTok além do canal no Youtube Vivendo na Amazônia.