Preço da carne em alta: adquirir alimento segue sendo um desafio para consumidores

O preço da carne vermelha pesa no bolso do consumidor manauara que procura o alimento em comércios da capital.

Em Manaus, o preço do patinho, por exemplo, muito utilizado para fazer carne moída, tem variação de R$ 33 até R$ 35,90.

Já a alcatra tem preços variando de R$ 38,00 para até R$ 47,90, o quilo.

Para garantir a carne bovina na mesa do consumidor é preciso pesquisar, e em tempos de produto em alta, muita gente tem substituído a proteína.

Como a dona de casa, Antônia Santos:

A disparada no preço da carne somada à perda de renda dos brasileiros por causa da pandemia de Covid-19 fizeram com que o consumo desses alimentos no país caísse ao menor em 25 anos, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab.

A dona de casa Maria Helena afirma que a situação deixa o alimento menos acessível a quem precisa.

De acordo com o colunista de economia da BandNews Difusora FM, Marcus Evangelista, diante do contexto, a alternativa é economizar ou optar por outros alimentos. Ele afirma ainda que a tendência é o preço normalizar.

Proteínas vegetais: uma alternativa

A nutricionista Salvia Belota dá dicas de algumas proteínas vegetais que podem substituir as proteínas encontradas na carne. São elas:

  • Lentilha
  • Grão-de-bico
  • Ervilhas
  • Milho
  • Quinoa

Queda no consumo

Ainda segundo a Conab, o consumo brasileiro de carne bovina foi de 29,3 quilos por habitante em 2020, uma queda de 5% em relação aos 30 quilos por habitante de 2019, ano em que o consumo já havia recuado 9%.

A perspectiva para 2021 é de que os preços da carne de boi continuem em alta, como resultado da oferta restrita de gado no país e da forte demanda de exportação.

Ouça a reportagem na íntegra:

Reportagem: Cindy Lopes
Foto: Ministério da Agricultura/Divulgação