AO VIVO

Bruno Pereira e Dom Phillips serão homenageados na Catedral da Sé, em SP

Bruno Pereira e Dom Phillips serão homenageados na Catedral da Sé, em SP

O indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Phillips serão homenageados em Culto Ecumênico na Catedral da Sé, em São Paulo, no dia 16 deste mês. O evento é uma iniciativa da Frente Inter-Religiosa Dom Paulo em parceria com outras instituições como a Comissão Justiça e Paz-SP e a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de São Paulo.

(Foto: Reprodução)

Na ocasião, será abordada a necessidade de promover a defesa dos povos indígenas e de se combater a violação dos direitos humanos no país que, segundo os organizadores do evento, está cada vez mais institucionalizada.

A antropóloga Beatriz Matos e a desginer Alessandra Sampaio, viúvas do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, respectivamente, confirmaram presença na homenagem.

A 1ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Amazonas deu cinco dias para que a Funai (Fundação Nacional do Índio) explique quais medidas está tomando para que tragédias como os assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips não se repitam. A informação é da colunista da BandNews FM, Mônica Bergamo,

A decisão foi publicada pelo juiz federal Lincoln Rossi da Silva Viguini na quarta (6) e impõe pena de multa ao presidente da autarquia, Marcelo Augusto Xavier da Silva, caso não haja resposta.

O magistrado acatou um pedido apresentado pela Defensoria Pública da União (DPU). Ele cita o “ambiente de conflitos e alto risco de novos eventos graves, como o que vitimou os senhores Bruno e Dom” para justificar a prioridade dada à demanda.

A determinação da Justiça Federal ocorre no âmbito de uma ação movida pela DPU e pelo Ministério Público Federal (MPF) ainda em 2018, em busca de uma solução para os conflitos na região do Vale do Javari, no Amazonas.

O DPU e MPF protocolaram no domingo (3) um pedido de indenização por danos morais coletivos contra a União no valor de R$ 50 milhões a serem revertidos em favor dos povos indígenas isolados e de recente contato.

O juiz federal Lincoln Rossi da Silva Viguini determinou que as parte envolvidas se manifestem em até dez dias.

Da redação

Últimas Notícias