Barreiras sanitárias são ineficazes na contenção de novas cepas, no Amazonas

O sistema de barreiras sanitárias não é suficiente para conter contaminações por novas variantes.

Segundo os especialistas, a quantidade de testes não condiz com o fluxo de passageiros nos aeroportos. A comprovação de quarentena é outro problema que deveria ser monitorado.

Desde as últimas semanas o monitoramento de passageiros que desembarcam no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes vem sendo realizado.

A meta inicial é de testar pelo menos 10% do público de passageiros, diariamente. Ouça:

Reportagem: Tawanne Costa
Foto: Reprodução

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email