Aumento da gasolina

Preço da gasolina tem aumento histórico em Manaus e chega a custar R$ 5,80

Após reajuste da Petrobras, o preço da gasolina em Manaus chega a R$ 5,80 nos postos de combustíveis. O maior valor já registrado na capital.

Segundo o sistema Busca Preço da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), a maioria dos estabelecimentos está vendendo o produto ao valor recorde. Até o fim do mês de junho, o preço médio da gasolina na capital podia ser encontrado em torno de R$ 5,49 ou R$ 5,59.

A população, que já sofre com o valor alto da cesta básica e do gás de cozinha, sentiu no bolso mais esse aumento. É o caso da industriária Eunice Silva. Ela conta que, passou a utilizar o álcool para abastecer o carro e quando pode, evita usar o veículo:

“Ultimamente eu tenho colocado mais álcool do que a gasolina e às vezes evito sair com o carro se o lugar for próximo. Nesta semana, o preço subiu absurdamente. Pelo o que percebemos, é daqui para pior”, disse Eunice.

Além da gasolina, o preço do diesel também subiu. Nas refinarias da Petrobras, o produto teve aumento de 3,7% e passou a custar R$ 2,80.

A estatal anunciou ainda que o preço médio de venda do gás de cozinha para as distribuidoras passa a ser de R$ 3,60 por quilograma, refletindo um aumento médio de 20 centavos.

O colunista da BandNews Difusora, Marcus Evangelista, explica que toda cadeia econômica é afetada por causa da circulação dos produtos que dependem do combustível.

“Nós aqui no Amazonas somos diretamente afetados, pois tudo que se consome depende de um frete. Esse frete pode ser rodoviário, fluvial ou aéreo, então no momento que há um aumento dos preços dos combustíveis, esse aumento é repassado também para os preços dos combustíveis”, afirmou o economista.

No primeiro semestre de 2021, o Procon Amazonas emitiu mais de 270 autuações a postos de gasolina após diversas denúncias e reclamações sobre os valores dos combustíveis recebidas diariamente.

Procon não pode determinar preço da gasolina

Como fala o presidente do órgão, Jalil Fraxe: “Temos essa alta do preço dos combustíveis que vem assombrando o orçamento familiar. Portanto, o Procon tem tomado diversas providências no que diz respeito a essa temática específica, que é o preço da gasolina. No entanto, não há uma regulação de preço no mercado de consumo de nenhum produto ou serviço, portanto o Procon não pode precificar o combustível, como nenhum outro produto ou serviço”, concluiu o presidente.

Os preços da gasolina, do diesel e do gás de cozinha (GLP) subiram semana passada nas refinarias.

De acordo com a Petrobras, a gasolina aumentou, em média, 16 centavos, fazendo com que o litro do combustível saísse de R$ 2,53 chegando a R$ 2,69.

Segundo a estatal, os reajustes acompanham a elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e derivados.

Ouça este conteúdo:

Reportagem: Cindy Lopes
Foto: Pexels; Divulgação/Procon Manaus