Após repercussão internacional, Governo Federal anuncia ofensiva contra balsas de garimpo no Madeira

Após repercussão internacional, Governo Federal anuncia ofensiva contra balsas de garimpo no Madeira

Órgãos do governo, como o Ibama e a Polícia Federal, planejam enviar, nos próximos dias, servidores para fiscalizar a atuação ilegal de garimpeiros no leito do Rio Madeira, próximo à cidade de Autazes, no interior do Amazonas.

A informação foi confirmada, hoje (25), pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que também anunciou que a Marinha participará da ação junto com a PF.

Em nota, a Polícia Federal informou que, em conjunto com outras instituições públicas, vai estabelecer as melhores estratégias para interromper os danos ambientais causados pelas atividades ilegais que estão ocorrendo no Rio Madeira.

Alvo permanente da ação de garimpeiros que buscam ouro no leito do Rio Madeira, o afluente do Rio Amazonas foi ocupado, nos últimos dias, por inúmeras balsas, empurradores, barcos e demais equipamentos usados para tentar identificar e extrair o mineral do curso d’água.

Imagens feitas por moradores da região, e divulgadas pelas redes sociais, mostram que, em um curto espaço de tempo, centenas de embarcações se concentraram próximas à comunidade do Rosarinho, em Autazes, formando como que um bairro flutuante.

Equipes da organização não governamental ambientalista Greenpeace Brasil sobrevoaram o local na terça-feira (23) e filmaram os garimpeiros em plena atividade.

Após a repercussão das imagens, o Ministério Público Federal (MPF) informou que já tinha cobrado de órgãos e autarquias federais e estaduais providências para reprimir e desarticular o garimpo ilegal na calha do Rio Madeira e demais afluentes.

As recomendações foram direcionadas ao Ibama, Exército, Marinha, PF, Agência Nacional de Mineração (ANM) e Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).

Da redação.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email