Após atingir a marca de 5ª maior da história, cheia do Rio Negro avança e toma região central de Manaus

Após atingir a marca de 5ª maior da história, cheia do Rio Negro avança e toma região central de Manaus

Reportagem: Gabrielle Moura

A cota atual ultrapassa a previsão divulgada no último alerta do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que era de 29,65 metros. O nível do rio estava em 29 metros e 73 centímetros na última atualização feita nessa sexta-feira (17).

(Foto: Divulgação/Assessoria)

O fenômeno natural de subida das águas já fez um trecho da avenida Eduardo Ribeiro, a principal avenida do Centro de Manaus, ficar totalmente inundado pelas águas. O local foi interditado por agentes de trânsito por causa da dificuldade de tráfego de veículos.

Os lojistas que trabalham ao redor do relógio municipal e feira da Manaus Moderna já começam a sentir os impactos da cheia e pontes provisórias começaram a ser construídas nas ruas do centro como forma de evitar a evasão da população e turistas.

A Defesa Civil de Manaus já pensa na construção de novas pontes em outras áreas da cidade para conter os danos causados pela subida das águas. É o que explica o titular da defesa civil, coronel Francisco Máximo. (Ouça)

Essa já é considerada a quinta maior cheia da história. Em 2021, a cheia histórica no Amazonas afetou cerca de 450 mil pessoas e atingiu mais de 100 mil famílias, de acordo com a Defesa Civil.