Siga nossas redes sociais

AM tem 11% de nascidos em 2023 registrados sem nome do pai

por Clara Toledo Serafini

Reportagem: Eros de Sousa

O nascimento de uma criança é um momento importante na vida de uma família. No entanto, a ausência do pai na vida e na certidão de um filho torna as coisas ainda mais difíceis para uma mãe.

No Amazonas, 11% das crianças nascidas em 2023 foram registradas sem o nome do pai. Dos mais de 16 mil nascimentos, 2 mil tem apenas o nome da mãe na certidão.

A socióloga Bianca Rocha explica que há vários efeitos a serem considerados devido à ausência paterna nessas crianças. (Ouça)

Desde 2016, mais de 1 milhão de crianças não tem o registro do pai nos documentos. No ano passado foram 8.087 crianças registradas somente com o nome da mãe. Em Manaus, foram mais de 4 mil crianças que não tiveram a paternidade reconhecida.

O sociólogo Carlos Santiago explica que isso demonstra um problema estrutural da sociedade brasileira, que deixa para as mulheres todo o peso da criação dos filhos. (Ouça)

Mais do que um nome em um pedaço de papel, a presença paterna influencia diretamente na vida da criança. É o que explica a psicóloga Leuza Medeiros. (Ouça)

A Defensoria Pública do Amazonas realiza este mês uma campanha para promover a inclusão do nome do pai nas certidões de nascimento no estado. Tanto a paternidade biológica quanto a socioafetiva. A defensora pública Renata Visco explica a ação. (Ouça)

Em 2023, uma média de 478 crianças são registradas diariamente sem o nome do pai no Brasil.

Curta e compartilhe!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Assine nossa newsletter

Receba uma seleção de notícias feitas pelos nosso editores. De segunda a sexta-feira, sempre bem cedinho!

Últimas Notícias

plugins premium WordPress