"Zap da Cheia": famílias afetadas contam com ferramenta para registrar ocorrências

“Zap da Cheia”: famílias afetadas contam com ferramenta para registrar ocorrências

Reportagem: João Felipe Serrão

A população impactada pela cheia dos rios em Manaus e no interior do Amazonas agora pode manter contato direto com a Defensoria Pública do Estado (DPE) através do Zap da Cheia. A ferramenta, lançada nessa terça-feira, tem o objetivo de identificar com mais agilidade áreas afetadas pelo fenômeno.

(Foto: Divulgação)

A Defesa Civil tem mais de 300 áreas catalogadas que deverão ser afetadas pela cheia, com inundações ou alagamentos, o que corresponde a aproximadamente 19 bairros. O nível do Rio Negro deve ultrapassar os 29 metros este ano.

O subdefensor geral da DPE, Thiago Rosas, explica como funciona o atendimento. (Ouça)

Em 2021, o Zap da Cheia contabilizou 179 atendimentos, de 3 de maio a 15 de junho, período da cheia dos rios, 40 deles relacionados à capital. Na avaliação de Thiago, a iniciativa gerou resultados positivos para as demandas. (Ouça)

O subdefensor destacou que a DPE conseguiu dobrar o valor do auxílio-aluguel para afetados pela cheia, que passou de 300, para 600 reais em 2022.

Thiago Rosas destaca o impacto nas populações mais carentes. (Ouça)

O Zap da Cheia já está em funcionamento, de segunda a sexta-feira, de 8 horas da manhã às duas horas da tarde. O número para atendimento é o (92) 98431-7941. Todas as cidades do Amazonas podem ser auxiliadas pelo serviço.

Nos casos dos municípios onde ainda não há polo da Defensoria, as demandas serão encaminhadas para o Grupo de Trabalho do Interior.