Servidores de secretaria do governo atuavam em esquema de vendas de títulos de terras no AM, diz polícia

A Secretaria de Estado das Cidades e Territórios (SECT) se manifesta por meio de nota após a deflagração de operação da polícia civil do Amazonas na manhã desta (4), para desarticular uma organização criminosa que montou um esquema de corrupção para venda ilegal de títulos de terra, em Manaus.

De acorco com a nota, o órgão diz que, desde 2019, tem adotado medidas de reestruturação e transparência nos procedimentos de regularização fundiária. O órgão não compactua com irregularidades e vai apurar suposta participação de funcionários em Processo Administrativo com essa finalidade.

A secretaria diz que os processos físicos estão sendo digitalizados para oferecer maior segurança. Na estrutura física, foram implantadas câmeras de segurança. Em novo endereço, o órgão oferece mais segurança e bem-estar a todos servidores e requerentes.

A ação da polícia cumpriu oito mandados de busca e apreensão nas residências dos envolvidos no esquema.

Segundo o secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, há um envolvimento de funcionários e ex-servidores públicos do estado.

A Polícia Civil tomou conhecimento de que uma organização criminosa havia montando, dentro da Secretaria Estadual de Terras, um verdadeiro escritório de negócios que promovia venda de títulos por valores que variavam entre R$ 100 mil e também R$ 200 mil.

Um dos suspeitos, ex-funcionário da Secretaria, se passando por funcionário público e cobrava valores para agilizar processos de regularização de terras.

Os suspeitos praticaram crimes como falsificação de documentos públicos, estelionato e corrupção passiva.

Da redação
Foto: Divulgação

compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email