Por Ricardo Chaves

O início da vazante em Manaus começa a impactar as indústrias do estado. A primeira empresa afetada é a Flextronics da Amazônia, que dispensou quase 200 trabalhadores. A fábrica atua na montagem de componentes eletrônicos para o ramo de celulares e televisores.

A informação é do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), Valdemir Santana. De acordo com o dirigente, a entidade prepara uma ação contra a empresa devido à demissão em massa.

Sobre o risco de novas demissões no setor, Valdemir Santana descarta. “Não há risco de demissões. Estamos negociando férias coletivas, licenças remuneradas e compensação de dias. A única empresa que está realizando demissões sem avisar o sindicato é a Flextronics. Ela demitiu quase 200 pessoas sem informar o sindicato. O sindicato está entrando com uma ação contra a demissão em massa. As demais empresas estão conversando com o sindicato para evitar demissões”, destacou.

O Sindmetal afirma que busca negociar com as empresas férias coletivas, licença remunerada e compensação de dias. Segundo Valdemir Santana, as empresas do setor estão procurando o Sindmetal para relatar que estão enfrentando os efeitos da estiagem, que está causando a falta de matéria-prima e insumos para a produção.

Uma delas é a Multilaser, que comunicou ao Sindmetal que concederá férias coletivas para seus trabalhadores por 10 a 15 dias. A empresa tem mais de 450 trabalhadores. A Multilaser fabrica e comercializa celulares, tablets, acessórios de informática, entre outros produtos relacionados.

“São várias empresas que estão enfrentando problemas devido à falta de matéria-prima, insumos, itens de higiene e também por falta de contêineres”, disse Valdemir Santana.

Outras empresas já estão negociando licença remunerada, como a Unicoba Indústria Eletrônica da Amazônia e a Procomp Indústria Eletrônica LTDA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *