Restrição do consumo de peixe já causa prejuízos aos feirantes em Manaus

Restrição do consumo de peixe já causa prejuízos aos feirantes em Manaus

Restrição do consumo de peixe já causa prejuízos aos feirantes em Manaus
Restrição do consumo de peixe já causa prejuízos aos feirantes em Manaus

O surto de rabdomiólise no Amazonas, inicialmente associado ao consumo de peixe contaminado, fez a Secretaria de Estado da Saúde orientar a população de Itacoatiara, na região metropolitana de Manaus, a não comer peixe por um período de 15 dias. A prefeitura de Silves também aderiu à medida. Assim, pescadores do interior e capital começam a sentir os efeitos com a queda de vendas em feiras e Mercados.

As espécies Pirapitinga, Pacú e Tambaqui, de origem de pesca de rios e lagos, estão com restrição de venda e consumo de peixe por recomendação de especialistas.

De acordo com a prefeitura de Manaus, quase 10 mil pessoas trabalham com a venda de peixes na região.

Pescadores e feirantes podem ser ainda mais prejudicados se a restrição da comercialização do pescado vigorar em todo o Amazonas.

Nesta quinta-feira, 52 casos de rabdomiólise estavam confirmados em oito municípios do Amazonas. A maioria em Itacoatiara. Os sintomas da doença são dor muscular e fraqueza, podendo levar a insuficiência renal.

Especialistas foram enviados para Itacoatiara afim de investigar as causas e formas do surto de rabdomiólise, conhecida como doença da urina preta. Ouça:

Reportagem: Gabrielle Moura
Foto: Reprodução