PF afirma que professor da UEA desviou órgãos humanos de laboratório da instituição e enviou para Singapura

Um professor da Universidade Estadual do Amazonas, a UEA, é investigado pela Polícia Federal pelo crime de tráfico internacional de órgãos. Segundo a PF, ele desviou órgãos humanos do laboratório de anatomia da instituição, em Manaus, e enviou para Singapura, na Ásia. Em nota, a UEA diz que acatou determinação da Justiça e afastou o professor de anatomia da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA/UEA) pelo prazo de 30 dias, além de ter iniciado sindicância para apurar os fatos internamente.

PF cumpriu mandado no laboratório de anatomia da Universidade (Foto: Divulgação)

A Polícia Federal realizou nesta terça-feira (22) a Operação Plastina, para investigar o caso. A ação cumpriu dois mandados de busca e apreensão, sendo um na residência do investigado e outro no laboratório de anatomia da universidade. Também foi cumprido um mandado de afastamento de função pública.

As investigações apontam que o homem enviou órgãos humanos plastinados para um famoso designer que vende acessórios e peças de roupas utilizando materiais de origem humana. Há indícios de que foi postada uma encomenda contendo uma mão e três placentas.

A plastinação é um procedimento técnico e moderno de preservação de matéria biológica. Ele consiste em extrair os líquidos corporais e os lipídios, por meio de métodos químicos. Se condenado, o investigado poderá responder pelo crime de tráfico internacional de órgãos humanos, com pena de até 8 anos de prisão.