Os cientistas brasileiros do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia descobriram uma nova espécie de palmeira do gênero Mauritiella.

Nova espécie de palmeira é descoberta por pesquisadores do INPA após 87 anos

Descobrir uma nova espécie de palmeira na Amazônia, um dos grupos de plantas mais abundantes na região, não é algo comum no último século. Os cientistas brasileiros do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia descobriram uma nova espécie de palmeira do gênero Mauritiella.

As últimas descrições de palmeiras do gênero foram em 1935.

A palmeira do gênero Mauritiella tem pequenos cocos, similares ao buriti. Foto: Divulgação/INPA

A planta foi encontrada pelos pesquisadores pela primeira vez na BR-319 em 2007. Um ano depois foi achada na rodovia Transamazônica.

De pequeno a médio porte alcança até sete metros de altura, possui caule coberto de espinhos, folhas que seguem o modelo em leque e frutos ovais parecidos com os do buriti, fruta regional encontrada no Amazonas.

De acordo com o biólogo Eduardo Prata, o achado científico no bioma mais biodiverso do planeta revela o quanto ainda há para se conhecer na flora Amazônica. (ouça)

Outro fator importante é que ela apresenta diferenciações morfológicas marcantes, ou seja, é relativamente fácil diferenciá-la pela aparência de outras espécies.

O biólogo explica que o processo de descoberta e descrição da nova espécie foi demorado, levou quase 15 anos. (ouça)

O estudo envolveu uma equipe multidisciplinar e internacional, formada por ecólogos, botânicos. A coleta de referência da espécie encontra-se depositada no Herbário do Inpa.

Mesmo sendo recém-descoberta, a distribuição da espécie preocupa cientistas pelo fato de ocorrer em parte no Arco do Desmatamento, região sujeita à degradação por abertura de estradas, desmatamentos, queimadas e ocupação irregular por grileiros.

Reportagem: Ricardo Chaves