Siga nossas redes sociais

MPF recomenda que UFAM anule cooperação com empresa para exploração de potássio em Autazes

Fazenda tem venda de gado suspensa por causa de desmatamento ilegal no interior do AM

O Ministério Público Federal (MPF) recomenda que a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) anule o termo de cooperação firmado com a empresa Potássio do Brasil em relação ao Projeto Autazes Sustentável.

O projeto prevê a oferta de serviços de consultoria especializada para
desenvolver o Plano Básico Ambiental e as ações serão desenvolvidas por equipes técnicas especializadas vinculadas a UFAM e instituições parceiras, como a Prefeitura de Autazes, Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Instituto Federal do Amazonas (IFAM) e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA).

O MPF identificou irregularidades no projeto e recomendou que a UFAM se abstenha de realizar qualquer apoio técnico especializado para desenvolvê-lo.

As atividades da Potássio do Brasil se concentram na sede do município de Autazes e em outras comunidades próximas aos municípios de Autazes, além de Itacoatiara, Nova Olinda do Norte e Careiro da Várzea, que foram indiretamente impactados pelo empreendimento.

A Ufam tem 30 dias para informar se acatou a recomendação, indicando as medidas que tenham sido ou que serão adotadas.

Da redação.

Curta e compartilhe!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Assine nossa newsletter

Receba uma seleção de notícias feitas pelos nosso editores. De segunda a sexta-feira, sempre bem cedinho!

Últimas Notícias

plugins premium WordPress