Rosiene Carvalho l Deputada Joenia Wapichana diz que indígenas querem votar em indígenas

A primeira mulher indígena eleita deputada federal está em caravana pelos estados do Norte. Além de enfrentar o ano que terá de concorrer à reeleição em Roraima, Joenia Wapichana (Rede) abraçou como desafio filiar lideranças indígenas ao seu partido para ampliar o número de parlamentares que representam os povos tradicionais da Amazônia na Câmara dos Deputados. Ela é a única nesta legislatura.

Deputada Joenia Wapichana na Câmara Federal (Foto: Divulgação)

“Os povos indígenas anseiam por candidaturas que os representem. Queremos ampliar essa representatividade política no Brasil todo. A minha eleição mostrou que isso é possível”, declarou a parlamentar em entrevista ao EXCLUSIVA da rádio BandNews Difusora (93.7), que foi ao ar na manhã desta segunda-feira, dia 30.

Os dois objetivos – sua reeleição e ampliar a bancada indígena – precisam superar as resistências internas do movimento à unificação de votos e a estrutura que a Rede Sustentabilidade oferece. Isso porque o partido já foi alcançado na eleição passada pela temida cláusula de barreira e não tem direito ao fundo eleitoral e nem a tempo de TV para propaganda. Outro ponto negativo é que, a cerca de dois meses para o final do prazo de filiação e federação partidária, a Rede caminha isolada e mantém conversas, até este momento, apenas com o Psol.

Em 2018, em todo País, o partido conseguiu eleger apenas Joenia em Roraima para Câmara dos Deputados e Randolfe Rodrigues no Senado no Estado do Amapá. O mandato de Joenia foi alcançado por uma decisão e organização dos povos indígenas de Roraima. Numa coligação que tinha além da Rede, PTB, PV e PT, Joenia foi a mais votada com 8.491, o que a fez garantir a última das oito vagas de deputados federais do Estado.

“Em 2018, tínhamos um cenário diferente. Tínhamos uma legislação que permitia coligação. Não tinha a exigência de um quociente eleitoral amplo de 80% (…) Eu concordo que a Rede não pode ficar isolada.”, declarou Joenia ao comentar as duas questões durante a entrevista.

No Amazonas, Rede e Psol não tem, neste momento, nomes de expressão de desempenho de urnas. Analistas políticos e de institutos de pesquisa apostam que o quociente eleitoral de 2022 para a Câmara dos Deputados, no Amazonas, seja de 220 mil votos.

Para a líder indígena e técnica de enfermagem Vanda Ortega, a aposta de Joenia e Rede no Amazonas, mesmo em condições desafiadoras, a Rede irá priorizar a candidatura de uma mulher indígena, o que não foi possível costurar nos diálogos firmados com outros partidos. No ato de filiação, além da presença de Joenia, participou também a presença da ex-senadora e fundadora da Rede Maria Silva. A filiação ocorreu na Maloca dos Povos Indígenas, no Parque das Tribos, Zona Centro-Oeste de Manaus.

“Os partidos querem atingir a cota com mulheres negras, trans, indígenas, mas não querem a prioridade de elas serem eleitas. Então, a gente teve alguns desafios. Temos lideranças filiadas à Rede no nosso Estado e essa representação da Joenia, para a gente, é fundamental. A Rede nos colocou como prioridade.”, declarou Vanda Ortega.

Vanda afirma que o Amazonas, estado com maior população indígena do País, precisa ter representação nos espaços de tomada de decisão de pessoas que conheçam e tenham identidade com a pauta e os problemas enfrentados pelos povos originários.

“Quando a gente olha para a Câmara Municipal e para os deputados a gente não consegue se enxergar. As pautas ali não nos atendem como sociedade”, disse a indígena amazonense.

A fala dela é corroborada pela avaliação da deputada Joenia Wapichana que afirma até contar com o apoio e votos de deputados federais do Amazonas em favor da defesa dos direitos dos povos indígenas, mas não de forma incondicional: “Temos apoio dos parlamentares do Amazonas, a depender dos seus interesses”.

Joenia e Vanda afirmam que mandatos de indígenas não servem apenas para os povos originários, mas para toda sociedade e isso pode ser expressado tanto pelo desempenho da parlamentar como pela luta travada na sociedade pelas lideranças indígenas.

A deputada destacou, ainda, na entrevista, os nomes de lideranças que também estarão nas urnas em outros estados pela Rede Sustentabilidade.

“No Pará, O-é Kaiapó Paiakan, que é líder, mulher jovem que tem feito atuação bastante importante para o movimento indígena, filha de grandes lideranças indígenas como Paulinho Paiakan. A tia dela é Tuíra Kaiapó que se manifestou no Congresso contra as hidrelétricas. Também tem a Juma Xipaya, no Pará. No Acre também teve ontem (quinta-feira), a filiação à Rede de Ninawa (Huni Kuin) com a intenção de concorrer a deputado federal. São pessoas sérias comprometidas com a causa indígena e com a causa não indígena também. De forma que a gente da Amazônia, quando chega ao Congresso Nacional, o nosso rosto é o rosto da Amazônia”.

Assista abaixo a entrevista completa com a Deputada Federal Joenia Wapichana e com a pré-candidata Vanda Ortega: