Hospital do Sangue

Hospital do Sangue promete assistência no tratamento de doenças do sangue no AM

O Hospital do Sangue é um projeto em andamento que pretende ampliar o tratamento de doenças e diferentes tipos de câncer no sangue no Amazonas.

A unidade pretende aumentar em até seis vezes a assistência ofertada atualmente pela Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas, o Hemoam.

As doenças hematológicas são aquelas que comprometem a produção dos componentes do sangue, como glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, e as plaquetas, geradas na medula óssea.

Essas complicações variam entre anemias, linfomas, leucemias e mielomas, podendo ser benignas ou malignas. O tratamento é complexo, e somente o Hemoam presta um serviço especializado no estado.

A coordenadora da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Hemoam, Ana Galdino, afirma que a estrutura do hospital já está limitada para a demanda:

“A estrutura do Hemoam ficou pequena para abraçar todos esses pacientes. Ninguém deixa de ser tratado mas assistência hematológica hoje, Em relação à estrutura física, está muito aquém do necessário e essa é a importância do Hospital do Sangue” relatou a médica.

O Hemoam não tem acesso à UTI. Pacientes com problema mais graves não podem ser internados na unidade.

De acordo com o Governo, o Hospital do Sangue tem capacidade total de 191 leitos. Segundo cronograma do Hemoam, a previsão é iniciar a operação da nova infraestrutura com 100 leitos até o final de 2021.

Ana Galdino também destaca atendimentos mais complexos, como transplantes, que ainda não são realizados no estado, mas serão iniciados com o Hospital do Sangue: “Em Manaus, nós ainda não realizamos o transplante de medula nos pacientes com leucemia ou com linfomas e outras doenças relacionadas à hematologia, pois não temos a estrutura física que nos permita todos esses cuidados. No Hospital do Sangue há áreas próprias e adequadas para a realização desse tipo de procedimento”, concluiu a médica.

Os pacientes que precisam de um transplante no Amazonas, precisam se deslocar para outros estados para realizar o procedimento.

O pedagogo Leandro Moraes precisou ir para outro estado para conseguir o atendimento e conta as dificuldades:

“[Os deslocamentos] geram muito desgaste para paciente que encontra-se nessa situação. O cansaço físico, mental, o risco de andar em aeroportos, em aviões. O hospital vai viabilizar uma melhor qualidade de vida e continuar salvando muitos pacientes aqui em Manaus” disse Leandro.

Recentemente, um repasse de 5 milhões de reais foi feito para as obras do Hospital do Sangue pelo governo estadual.

O recurso é referente à contrapartida estadual, que também conta com verbas federais, e garante a entrega da obra para o final do mês de outubro deste ano.

A construção da unidade iniciou em 2014, chegando a ter as atividades totalmente paralisadas em 2017 por impasses com a construtora responsável pela execução da obra.

A obra foi retomada em 2019 e hoje está com 73% das obras concluídas, de acordo com o Governo do Amazonas.

Ouça este conteúdo:

Reportagem: João Felipe Serrão
Locução: Álex Ferreira
Foto: Divulgação/ Hemoam