O ex-diretor do Banco Central do Brasil (BSB) Alexandre Schwartsman causa reação da classe política do Amazonas ao classificar como “aberração” a Zona Franca de Manaus estar instalada na Amazônia. A fala ocorreu durante entrevista à TV Cultura nessa terça-feira.

Alexandre foi questionado sobre as férias coletivas concedidas a trabalhadores do Polo Industrial de Manaus e disparou críticas ao modelo local:

O ex-diretor do BC também debochou do tempo de permanência da Zona Franca na região. As falas repercutiram nesta quarta-feira entre os políticos amazonenses.

O deputado estadual Sinésio Campos (PT) disse que a fala do economista destila ódio contra a região amazônica e à população amazonense, em uma declaração carregada de preconceito.

Ainda na Aleam, Wilker Barreto (Cidadania) também enfatizou que o especialista desconhece a região:

O ex-deputado federal Marcelo Ramos também publicou um vídeo na internet sobre as falas de Alexandre Schwartsman:

A discussão em torno do assunto ocorre em função dos impactos da Zona Franca de Manaus por causa do período de seca na região.

O baixo nível dos rios tem impedido a navegação de embarcações que transportam insumos à indústria do estado.

Na semana passada, o governo federal anunciou dragagem em trechos na costa do tabocal, região de Itacoatiara, no rio Amazonas.

A área faz parte do trajeto de embarcações que transportam cargas ao Polo Industrial de Manaus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *