A Defesa Civil do Amazonas e o Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM) alinham estratégias para enfrentar os desafios da estiagem de 2024.

O encontro teve como objetivo garantir que os serviços e produtos mantenham a qualidade e os preços justos ao consumidor no período em que pode ocorrer variação dos valores devido a fatores como: escassez de produtos e aumento do custo do transporte.

Desde o ano passado a Defesa Civil do Amazonas vem trabalhando no planejamento e no começo do ano iniciou um trabalho de prevenção com o objetivo de mitigar os impactos causados pela seca em vários setores.

A parceria entre os órgãos é para firmar o compromisso em assegurar o equilíbrio entre as relações de consumo em um momento considerado crítico tanto para o comerciante/prestador de serviço quanto para o consumidor.

Além da fiscalização, a Defesa Civil do Amazonas já elaborou planos de contingência para responder a emergências como abastecimento de água potável, insumos e medicamentos para a saúde, produção rural, logística para a manutenção do funcionamento da rede estadual de educação e ajuda humanitária são os principais focos do cronograma de atividades do governo.

Conforme alerta da Defesa Civil, a previsão é que a estiagem deste ano seja tão severa quanto a do ano passado, quando o rio negro superou a marca histórica da seca dos últimos 121 anos.

Conforme o Porto de Manaus, em outubro de 2023, o Rio Negro, que é o sétimo maior do mundo em volume de água, estava com uma vazante de somente 13,59 metros, o menor registro desde 1902.

Da redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *