Casos de doença de Haff é investigada pela FVS-AM

Equipe da FVS é enviada a Itacoatiara para dar sequência às investigações da doença de Haff

Após confirmação de 11 casos da doença de Haff, conhecida como “doença da urina preta”, em adultos e crianças em Itacoatiara, uma equipe é enviada ao local nesta quinta-feira, 26, para dar sequência na investigação dos casos no município nos próximos dias.

A informação é da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Os casos foram atendidos entre os dias 22 e 23 de agosto na unidade de saúde de Itacoatiara. Os pacientes seguem internados no Hospital Regional José Mendes, no município.

Foram mais de 15 casos notificados, cinco deles ainda estão em investigação, a maioria em núcleo familiar, como explica a Coordenadora do Cievs da FVS, Liane Socorro.

De acordo com o presidente da Fundação de Medicina Tropical, o infectologista Antônio Magela, fala que a doença pode levar a morte.

A doença de Haff está associada a ingestão de pescado e frutos do mar. Quando o peixe não é guardado e acondicionado de maneira adequada, ele cria uma toxina sem cheiro e sem sabor.

A doença é causada por uma toxina que pode ser encontrada em determinados peixes como o tambaqui e crustáceos, por exemplo
A doença é causada por uma toxina que pode ser encontrada em determinados peixes como o tambaqui e crustáceos, por exemplo

A doença de Haff se caracteriza por ocorrência de extrema dor e rigidez muscular, dor torácica, além de falta de ar, dormência e perda de força em todo o corpo, podendo causar falência renal, como explica a infectologista Ana Galdina.

Ainda não há nenhuma condição de dizer se foi a doença foi causada pela ingestão de peixe que é um alimento muito consumido na região.

Reportagem: Gabrielle Moura
Foto: Reprodução/Emilio Higashikawa