Reportagem: Victor Litaiff

Alimentos ultraprocessados têm se tornado frequentes na dieta moderna devido à sua disponibilidade, rapidez e até preço.

Pessoas com a rotina corrida não conseguem, na maioria das vezes, ter uma alimentação mais natural.

É o que conta Marlucia Oliveira, técnica de enfermagem. Ela diz que, muitas vezes, devido à rotina corrida no trabalho, acaba não se alimentando de maneira correta: (Ouça)

No entanto, o que muita gente não sabe é que esses produtos passam por múltiplos processos industriais e frequentemente contêm aditivos como corantes, conservantes e estabilizantes.

Esses aditivos, além da composição nutricional desequilibrada, caracterizada por alto teor de calorias vazias, gorduras saturadas, açúcares e baixa quantidade de fibras, vitaminas e minerais, levantam preocupações crescentes sobre seus impactos na saúde. O pior deles é a ligação com o câncer.

A nutricionista oncologista Beatriz Fiuza comenta estudos que ligam o consumo frequente desses alimentos a diversos tipos de câncer. (Ouça)

A profissional destaca que muitos desses alimentos são alterados e podem ter relação com câncer dos tipos de colorretal e o de mama. (Ouça)

Beatriz Fiuza orienta sobre alimentos para diminuir o risco de problemas de saúde. (Ouça)

De acordo com o Ministério da Saúde, manter um peso corporal saudável, por meio de uma combinação de dieta equilibrada e atividade física regular, é fundamental para reduzir o risco de câncer relacionado à obesidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *