Crítica | Cidade Invisível e a cultura invisível: História Indígena, máscaras brancas

Neste mês estreou na Netflix a série brasileira Cidade Invisível.

Com a produção de Carlos Saldanha, conhecido pelos filmes Era do Gelo e Rio, a série movimentou as redes sociais com discussões a respeito de folclorização e apropriação cultural, pelo fato de representar entidades da espiritualidade indígena (Como o Curupira, Iara e Saci) de uma maneira desrespeitosa.

A BandNews Difusora conversou com Moara Tupinambá, artista visual e curadora autônoma; Yaguarê Yamã, professor, palestrante, e escritor; e com Samela Sateré-Mawé, comunicadora, ativista e artesã, para entender as problemáticas que a série levanta e o processo de desapropriação promovido pela indústria cultural.

Confira a reportagem:

 

Reportagem: João Felipe Serrão
Sonorização: Alex Ferreira

compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email