Crianças e adolescentes lideram o ranking de desaparecimentos em Manaus

Crianças e adolescentes lideram o ranking de desaparecimentos em Manaus

Casos de desaparecimentos de pessoas geram muita apreensão em familiares e amigos, que muitas vezes não sabem o que fazer. Só em Manaus, 327 pessoas desapareceram entre janeiro e agosto deste ano – dez casos a menos que o registrado no mesmo período do ano passado.

Apesar da pequena redução, 2021 tem uma média de 35 casos por mês. As estatísticas são da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Este homem, que prefere não se identificar, conta que o filho dele de 23 anos está lista de desaparecidos no estado. Desde o ano passado que não há informações sobre o paradeiro do rapaz.

Desaparecimentos são classificados de três formas: voluntário – quando ocorre uma fuga do lar devido a desentendimentos entre familiares, violência doméstica ou outras formas de abuso dentro de casa.

Involuntário – quando há um afastamento do cotidiano por um evento sobre o qual não se possui controle, como acidentes ou desastres naturais. E forçado- como sequestros.

No total, foram 215 homens desaparecidos neste ano na capital, além de 101 mulheres. A maioria dos registros envolve os homens com idade entre 12 e 17 anos.

O especialista em segurança pública Dorli Marques, avalia os dados e orienta as famílias. (ouça)

O desaparecimento é o sumiço de alguém sem aviso prévio a familiares ou amigos, não importando a idade. Uma pessoa é considerada desaparecida quando não é encontrada nos lugares que tem o hábito de frequentar, não está na companhia de conhecidos e está incomunicável.

A situação precisa ser informada à delegacia mais próxima.

Semanalmente, quase em frequência diária, a Polícia Civil divulga informativos pedindo que a população compartilhe imagens de pessoas desaparecidas.

Quem souber a possível localização ou o último local em que a pessoa foi vista, pode entrar em contato com a PC através do 181, o disque-denúncia da SSP-AM.

Reportagem: Guilherme Guedes
Foto: Reprodução/PC-AM