Cantora amazonense Gabi Farias lança videoclipe da faixa “Só”

“Só” não é sobre ser sozinho, é sobre se ver. E foi assim que, em meio a tantas reflexões e incertezas, Gabi Farias chegou em um ponto de reinvenção. O videoclipe, que já tem data de lançamento prevista para o dia 12 de dezembro no canal do Youtube da cantora, conversa com a essência da música de se fazer inteira e encontrar outras maneiras de olhar variadas situações.

“Na época em que ‘Só’ veio até mim, eu a entendia num momento de solidão, como num canto de dor e tristeza. Depois que ela ganhou mais vida, foi tomando outros significados, se transformando em um canto de superação e afirmação. E por causa disso, de tudo o que esse EP me fez passar, com a exigência de um amadurecimento muito rápido em um curto período, eu reli como uma canção de várias faces. Em cada momento ela foi se mostrando uma versão, assim como eu apresentava outra versão de mim mesma”, relatou Gabi Farias.

O EP se chama “Vazante” e foi o trabalho de estreia da artista enquanto cantora solo, o videoclipe da faixa vem para marcar o fim do ciclo do projeto, e dar início ao novo trabalho de Gabi que já está em processo de produção e se chamará “Enchente”.

Dança no Vídeo

Um dos maiores destaques ligados ao videoclipe é que ele se baseia na arte da dança. “Através do meu desejo de dar mais força ao protagonismo feminino dentro da arte, em diferentes áreas, eu comecei a buscar referências em que a dança, linguagem que eu sempre admirei, pudesse falar o que eu não precisavamais falar sozinha”, explicou a cantora.

Em um processo de mais de seis meses, a artista junto ao seu balé e coreógrafo Arley Paiva, desenvolveram um trabalho coreográfico que foi registrado pelas câmeras da diretora Grazi Praia, no Palácio Rio Negro, Centro de Manaus.

“Desde o momento em que comecei a reunir ideias sozinha até o momento em que eutinha uma equipe inteira trabalhando comigo, o clipe se transformou em um movimento por si só. Reforçandoainda mais a ideia de renovação que eu sentia a cada passo que eu vinha dando”, complementou a artista.

Cinco mulheres: bailarinas, professoras, artistas e pesquisadoras, cada uma em sua própria história apresentandovárias versões. “Dentro da minha história elas são os diferentes reflexos que eu já vi de mim mesma. As outras versõesde mim. As vezes nem cabem de tão fortes”, disse.

Só Não É Só            

“Estar só é aprender a se conhecer. Apender a se amar, a se odiar, a sentir saudade de um jeito diferente. Solitude e solidão vivem se confundindo nesse estar só. E eu idealizei esse clipe como um refúgio, uma forma de expressar o que eu acredito, em quem eu acredito, como eu acredito”, afirma Gabi.

Por acreditar no poder da troca entre as linguagens artística, a cantora escolheu a dança para se expressar, o que permitiu que ela criasse espaço para outros artistas. “A gente precisa de espaço, e quanto mais melhor, a cada novo trabalho eu me surpreendo ainda mais com as dificuldades que podem ser enfrentadas por nós, e cada vez mais eu reafirmo essa necessidade de criar esse palco para todos nós”, completou.

Da redação com informações da assessoria
Foto: Fernanda Delfino

compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email