Após suspeita de fraude na vacinação contra a Covid-19, David diz que está prestando as informações e não acredita em prisão

O prefeito de Manaus, David Almeida, disse nesta quinta-feira que está prestando todas as informações sobre a vacinação em Manaus e acredita que não será preso.  Ontem, o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) pediu a prisão do político por suspeita de fraude na prioridade para vacinados contra a Covid-19. 

O Tribunal de Justiça do Amazonas não analisou o pedido de prisão e encaminhou o processo para o Tribunal Regional em Brasília com a alegação de ser competência da justiça federal determinar a prisão. Os promotores vão recorrer da decisão. Em entrevista à rádio Bandeirantes, David Almeida negou irregularidades.Ouça:

O político ainda disse que duas pessoas devem ser afastadas por furarem a fila de vacinação. 

 O pedido 

Na representação criminal, o MP-AM afirma que há materialidade contra o prefeito e a secretária de Saúde, Shádia Fraxe para pedir que as autoridades sejam presas. A solicitação é acumulada com pedido de afastamento de cargo público e medidas de busca e apreensão.

Também aparecem entre os pedidos de prisão e apreensão mais 20 pessoas, que desencadearam a onda de denúncias de fura-fila da vacinação do coronavírus.Estão no grupo as médicas e irmãs Isabelle e Gabrielle Lins, filhas de um empresário de Manaus.

O caso repercutiu após a BandNews FM revelar em primeira mão que as profissionais receberam a primeira dose da vacina após recente nomeação em cargos da prefeitura para atuar em uma UBS na capital.

Da redação

Foto: Reprodução Facebook/ Rádio Bandeirantes

compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email